3 coisas que você não sabia sobre a Pedra Hijau Palimanan

3 coisas que você não sabia sobre a Pedra Hijau Palimanan

3 COISAS QUE VOCÊ NÃO SABIA SOBRE
A PEDRA HIJAU PALIMANAN

A Pedra Hijau está fazendo ondas em todo o mundo. Suas propriedades únicas o tornam uma escolha prática para os construtores, enquanto sua estética deslumbrante o torna uma opção perfeita para arquitetos e  designers que desejam criar um fator “Uau!”.

Vamos descobrir mais sobre esta bela pedra natural.

1. A pedra Hijau, chamada em sua origem de Green Sukabumi Stone, só pode ser encontrada na Indonésia

A Hijau é uma pedra verde, chamada de Sukabumi Stone recebeu o nome da regência de Sukabumi em Java Ocidental, onde foi encontrada pela primeira vez. O fato de você não encontrar a pedra Hijau em nenhum outro lugar do mundo a torna uma pedra natural rara e muito procurada. Nós ajudamos a trazer um pedacinho da Indonésia para sua casa aqui no Brasil.

2. A pedra Hijau é usada em todo o mundo

Essa pedra incrível é usada em resorts indonésios sofisticados para criar ambientes deslumbrantes em áreas externas e piscinas. Mas seus incríveis tons de verde atraíram arquitetos e designers que trabalham em hotéis em todo o mundo. A pedra foi usada para recriar uma vibe indonésia em hotéis tão distantes quanto Europa, Oriente Médio e Oceania. Alguns exemplos incluem o Royal Tulip em Brasília, o Bulgari Resort & Hotel em Dubai, Six Sense Resort Zil Pasyon em Felicite Island, Seychelles e Picadilly House em Byron Bay, Austrália.

3. A pedra Hijau contém propriedades únicas

Você sabia que a pedra Hijau Palimanan não é apenas incrível, mas também tem propriedades purificadoras da água ? É isso mesmo, há uma razão pela qual é tão frequentemente usada em piscinas. Ela contém zeólitos, minerais que são altamente eficazes na redução dos níveis de amônio na água. Os zeólitos também absorvem metais pesados que podem se acumular em piscinas, como cálcio, magnésio e fosfatos. Isso torna a pedra Hijau uma ótima opção se você deseja construir áreas de piscina ao ar livre que permanecerão limpas por mais tempo.

Além disso, ela também possui propriedades antiderrapantes que o tornam ideal para uso em banheiros internos. Sua versão bruta é muito usada em áreas externas de piscina, muros, áreas internas e externas.

Esses são alguns detalhes sobre essa fascinante pedra natural. Se você gostaria de incorporá-lo em seu próximo projeto, converse conosco sobre seu orçamento e necessidades.

Ficaremos felizes em ajudar!

Palimanan, a verdadeira concepção da natureza!

Confira dicas para construir a piscina perfeita

Confira dicas para construir a piscina perfeita

Confira dicas para construir a piscina perfeita

Pensar na construção de piscinas vai muito além do espaço de instalação: é necessário atentar a todos os detalhes do projeto, principalmente no tipo de revestimento cimentício que será escolhido. 

Para auxiliar nesse processo, selecionamos algumas dicas que podem ser úteis durante a fase de desenvolvimento e escolhas de produtos. Continue a leitura e confira! 

1. Pense na localização: Recomendamos que a área da piscina receba luz do sol durante a maior parte do ano. Em geral, dê preferência à região norte do terreno, pois a incidência de raios solares é mais forte. Observe aspectos como a existência de prédios ao redor da localidade e a corrente de vento. Verifique, também, se o lugar escolhido garante privacidade.

2. Avalie o tamanho: Para maior comodidade aos banhistas, a piscina deve ter boa área de circulação ao redor. A sugestão é identificar o tamanho ideal do terreno e multiplicar o espaço reservado por dois. Por exemplo: em uma piscina de 8m², o aconselhável é ter, ao menos, 16m² de terreno.

3. Profundidade: O ideal é que, em residências, esteja entre 1,30m e 1,40m de profundidade. Caso o projeto seja de piscina para uma família com crianças, opte por deixar uma parte mais rasa, evitando acidentes e permitindo a interação de todos.

4. Material antiderrapante: O revestimento ao redor da piscina deve ser sempre antiderrapante, o que garante maior segurança para quem circula ao redor. 

5. Refletir a sua personalidade: Como em qualquer cômodo da casa, você tem infinitas possibilidades de criação com a área externa da piscina. Aproveite o local para colocar os complementos que traduzem a sua personalidade, dando ainda mais vida ao seu projeto.

Qual o momento ideal para reformar sua piscina?

O inverno é um ótimo período para reformar a piscina, afinal, ela estará sendo menos utilizada e você poderá aproveitar esse espaço de lazer no verão. Outros pontos vantajosos de realizar a obra nesse período incluem o custo menor e a maior disponibilidade de materiais (a maioria das pessoas inicia a busca em cima da hora, quando o calor já começou). 

Destacamos, também, o clima favorável – mais seco – além da flexibilidade com os prazos, o que permite executar o planejamento de forma mais criteriosa e detalhada, em busca do melhor custo benefício.

Além disso, existem alguns pontos para serem analisados e que indicam a necessidade de reforma da piscina, como: 

 Desgastes: Reparos são comuns ao longo do tempo, por isso verifique se há infiltrações, rachaduras ou defeitos que comprometem a segurança da piscina. Também observe como está a impermeabilização, o rejunte e o revestimento. 

 Modernizar instalações: A vontade de deixá-la mais moderna pode ser a principal motivação da reforma, com a procura por soluções automatizadas. Hoje, existem alternativas que possibilitam a otimização do tratamento da água, por exemplo. 

 Climatização e aquecimento: Essa é uma questão importante para quem mora em regiões frias. A temperatura adequada da água de uma piscina aquecida deve ser em torno de 28°C a 30°C. 

Agora que você já sabe como fazer um projeto de piscina, que tal olhar todas as nossas opções de revestimentos cimentícios para esse espaço? Veja qual combina melhor com o seu estilo e mãos à obra!

Vantagens dos Cobogós: conheça essa tendência na arquitetura

Vantagens dos Cobogós: conheça essa tendência na arquitetura

Vantagens dos Cobogós: conheça essa tendência na arquitetura

Os cobogós são mais comuns do que se imagina: esse elemento de parede vazado é uma tendência predominante na arquitetura. 

Hoje, existem diversas opções de formatos e cores para Cobogós, que proporcionam  sofisticação e estilo aos ambientes, além de  benefícios como permitir a delimitação de espaços, com passagem de luz natural e maior circulação de ar.

Selecionamos algumas vantagens dessas peças para você aplicar no seu projeto:

1. Versatilidade

Você pode combiná-lo em diferentes projetos, seja moderno ou rústico. O cobogó pode ser aplicado em áreas internas e externas, com inúmeras paginações disponíveis devido à diversidade de modelos. 

2. Iluminação

Escolha perfeita para quem deseja um ambiente iluminado naturalmente. Seu design vazado permite dividir espaços sem perder a luz natural. Além disso, os recortes ajudam a criar belas formas, bem como uma atmosfera aconchegante e repleta de personalidade. 

3. Sustentabilidade 

O elemento está alinhado ao conceito de arquitetura sustentável, uma vez que seu uso garante a entrada de luz e ventilação natural aos ambientes. 

4. Sem limites para a criatividade

Apesar de ter uma aplicação “padrão”, os cobogós podem ser usados de forma criativa e única, criando espaços realmente inovadores. Podem ser usados como meias-paredes, em bancadas e o que mais a criatividade do arquiteto permitir.

Revestimento para casa: aprenda como escolher o seu

Revestimento para casa: aprenda como escolher o seu

Revestimento para casa: aprenda como escolher o seu

Na hora de reformar ou construir, é preciso pensar em cada detalhe da residência de forma estratégica para que o conjunto da obra fique perfeito. A escolha do revestimento para casa é um fator primordial para o sucesso do projeto, pois influencia na limpeza e manutenção do ambiente, no seu conforto térmico e acústico e também na sua estética.

Está com dúvidas sobre qual o melhor revestimento para cada ambiente? Então continue a leitura deste artigo e conheça algumas dicas para ajudar na escolha do revestimento ideal para o seu projeto.

Separe a residência em áreas

Antes de escolher o revestimento para cada cômodo, é aconselhável que você divida a casa em áreas. Observe que uma residência geralmente é formada pela área íntima, onde ficam os quartos, pela área social, que abrange a sala de estar e jantar e os corredores de acesso às áreas íntimas, e também pelos ambientes úmidos.

Cada uma dessas áreas pode receber um tipo específico de revestimento. Áreas úmidas como lavabos, cozinha e área de serviço precisam de um revestimento antiderrapante, de forma a evitar acidentes. É possível, então, escolher o porcelanato não polido ou mesmo pisos cerâmicos.

Já a área íntima pode receber madeira, que é um material quente e que proporciona conforto e elegância, ou ainda laminados ou vinílicos. Como quartos são ambientes com pouca movimentação de pessoas, não é preciso optar por materiais de fácil limpeza, como o cerâmico, mas deve-se primar pelo conforto térmico e estético.

A área social também pode receber materiais nobres, mas como é mais utilizada, talvez seja preferível materiais de fácil limpeza. Por isso, uma boa ideia é colocar porcelanatos que imitem a madeira ou alguma pedra, como o mármore. O porcelanato é mais resistente e oferece o mesmo visual do original, além de custar muito menos.

Assim, é possível manter a elegância e sofisticação de um material nobre com a facilidade de manutenção e a praticidade que o porcelanato oferece.

Escolha o revestimento apropriado para a cozinha

A cozinha é uma peça especial da casa, pois é um ambiente onde a família costuma se reunir e muito frequentada por todos os moradores, além de contar com alguns elementos que a diferenciam dos outros cômodos.

Lembre-se de que a cozinha possui muito vapor e umidade, e por isso o revestimento deve ser resistente a essas condições.

Porcelanato e cerâmica são ideais para esse ambiente, mas caso não queira utilizá-los em toda a cozinha, opte por colocar pelo menos nas áreas molhadas, como na pia, e na região em que se localizará o fogão, para facilitar a remoção da gordura e evitar a propagação de chamas.

Outra dica importante é que o revestimento siga a linha da decoração da cozinha: se ela for mais alegre e descontraída, opte por revestimentos coloridos; se a decoração for mais tradicional, escolha cerâmicos e porcelanatos brancos ou de cores claras.

De forma geral, o revestimento da cozinha deve ser antiderrapante, por causa da umidade desse ambiente, e de material não rugoso, para evitar que a gordura fique grudada e facilitar a limpeza.

O azulejo é o revestimento mais tradicional para cozinhas, mas também é possível usar vinílicos, que são de fácil limpeza, ou materiais mais nobres, como pedra ou madeira — nesse caso, vale a pena combinar diferentes revestimentos e texturas.

Revista a área externa de acordo com suas características

O revestimento ideal para a área externa depende da forma como esse espaço assume na residência. Para ambientes abertos, com ou sem cobertura, o recomendável é optar por pisos antiderrapantes, já que podem ficar molhados devido a chuvas e outros fatores climáticos.

Já para áreas externas cobertas e fechadas, como a garagem ou casa da piscina, é possível utilizar porcelanatos ou cerâmicos, que são de fácil manutenção. Pedras combinam perfeitamente com áreas externas, mas podem ser mais difíceis de limpar. Agora, se o espaço tiver uma churrasqueira, prefira utilizar pisos acetinados, para garantir a facilidade da limpeza.

Pense nas cores de acordo com o efeito que se deseja

A cor do revestimento ajuda a transformar o ambiente. Assim, se o espaço for pequeno, é preferível utilizar cores claras, que passam a sensação de amplitude. Já para aumentar o conforto e a elegância do cômodo, utilize o preto ou outras cores escuras, e prefira materiais nobres, como o mármore, o granito e a madeira.

Revestimentos coloridos criam um ambiente descontraído e divertido e podem dar personalidade a cômodos menos marcantes, como o lavabo.

Lembre-se, porém, de que as cores também causam reações físicas nas pessoas: uma cor vibrante no quarto, como o roxo, pode atrapalhar o relaxamento e a tranquilidade que se busca nesse cômodo; laranja, amarelo e vermelho são cores que aumentam o apetite e podem ser utilizadas na cozinha ou na sala de jantar.

Mude o revestimento apenas se houver uma separação

De forma geral, o material utilizado no revestimento deve permanecer o mesmo até que haja uma separação física entre os cômodos. Assim, em ambientes em que não há elementos de separação, como uma porta, mantenha o mesmo revestimento em toda a peça para criar uniformidade.

Agora, caso os cômodos sejam separados por uma porta, você pode escolher revestimentos diferentes de acordo com o que se quer para cada ambiente. Em ambientes conjugados, é preferível também que o piso permaneça o mesmo.

Se a cozinha for conjugada com a sala de jantar ou de estar, por exemplo, pense em um revestimento que fique bem nos dois ambientes. Uma ideia é colocar revestimentos que lidem bem com a umidade e a gordura em algumas áreas da cozinha, como na pia e no fogão, e revestir o restante com o mesmo material da sala.

Atente-se ao clima da região

Em um país continental como o nosso, é normal que as recomendações para uma residência na região Norte sejam diferentes daquelas para uma residência no Sul, pois suas características são muito diferentes. Dessa forma, é importante escolher os revestimentos de acordo com o clima da região.

Em cidades com clima frio na maior parte do tempo, escolha pisos quentes para quartos e salas, como madeira, vinílico e laminado, e pisos frios como cerâmicos e porcelanatos para lavabos, cozinha e áreas de serviço. Dessa forma, é possível manter os ambientes de socialização e descanso mais quentinhos e confortáveis.

Já em cidades com clima predominantemente quente é possível utilizar pisos frios mesmo nas áreas social e íntima. Assim, escolha porcelanatos e cerâmicos também para quartos e salas, de forma a manter o conforto térmico desses ambientes. O porcelanato pode simular até mesmo a madeira, oferecendo a elegância desse material e mantendo o ambiente fresco.

Com uma grande oferta de produtos dos mais variados tipos, é preciso escolher sabiamente o revestimento para casa de acordo com as características de cada ambiente. Assim, é possível alcançar todo o potencial do cômodo e tornar o espaço mais confortável e aconchegante.

E você? Conhece outras dicas que podem ajudar na hora de escolher o revestimento para casa? Deixe seu comentário no post e compartilhe suas ideias com a gente!

Revestimento 3D: o que é e como utilizar?

Revestimento 3D: o que é e como utilizar?

É possível pintar o revestimento cimentício?

Sim, você pode colorir os revestimentos cimentícios! A versatilidade é a palavra de ordem quando o assunto são essas peças. Para dar ainda mais personalidade e tornar seu projeto único, as peças podem passar por um processo de pintura. Isso é possível graças à utilização de tecnologia de ponta.

Acompanhe neste conteúdo detalhes importantes sobre a pintura dos revestimentos e como realizar a coloração das peças, além de projetos incríveis para te inspirar. 

Como pintar o revestimento cimentício?

Você deve realizar a pintura somente após a instalação dos cimentícios. Com a superfície totalmente livre de impurezas e rugosidades, as peças devem estar secas e livres de pó para receber a camada de tinta.

É fundamental que o processo seja realizado com tinta acrílica ou látex à base de água diluída de acordo com a especificação do fabricante. A utilização de uma pistola de pintura preserva as características originais do produto e mantém a uniformidade da cor. Com a aplicação de finas camadas, você evita o acúmulo de material e, consequentemente, a desuniformidade das placas.

Importante: caso o produto já tenha recebido pintura, a tinta precisa ser removida por lixamento antes da nova aplicação. Além disso, se a placa já estiver impermeabilizada, o produto precisa ser neutralizado com detergente alcalino.
Por que esse cuidado? Tanto a pintura prévia como a impermeabilização antecipada inibem a aderência da tinta e, com isso, a pintura pode descolar no futuro.

Veja como é possível mudar o ambiente com a pintura dos revestimentos:

A pintura, tanto em um detalhe como na parede toda, torna o ambiente mais personalizado, além de reduzir o custo com composições que podem demandar a aplicação de objetos e artigos de decoração. Simples, o processo de pintura reforça a impermeabilização, proporciona durabilidade e garante uniformidade de cores nos revestimentos.

WhatsApp WhatsApp